28 de December de 2022

Embalagem de alimentos carregam mais que um alimento

Que a população tem aumentado sua preocupação com a saúde e o bem-estar e por isso busca uma alimentação que lhe permita alcançá-lo é inquestionável. As empresas têm reagido a esta tendência através de estratégias publicitárias, entre outras, oferecendo produtos que respondem a esta preocupação.

Podemos conferir essas estratégias através das embalagens.

Realizando uma revisão bibliográfica e a análise dos alimentos, verificou-se a importância das alegações publicitárias relacionadas à saúde e a frequência de seu uso. Atualmente, as mensagens publicitárias são baseadas em estratégias que mostram um produto saudável, natural e tradicional.

As embalagens são projetadas para dar uma impressão saudável de três pontos de vista:

  • Em primeiro lugar, todos aqueles alimentos “sem…”, alusivos a ingredientes adicionados.Os produtos querem mostrar a sua naturalidade evidenciando a ausência de ingredientes adicionados através das suas embalagens. Postulam-se como alimentos naturais, incluindo mensagens como “sem conservantes”, “sem corantes” no design da embalagem… Querem mostrar o que é natural.
  • Em segundo lugar, a evocação para o imaginário do tradicional. São produtos que levam o consumidor de volta à comida caseira. Frases como “como em casa”, “feitos como em casa” são usadas. Os consumidores entendem esse tipo de alimento como natural e até saudável. Esses tipos de alegações fazem com que o alimento seja percebido como caseiro, dando a entender que está separado do industrial.
  • E, por fim, as referências à sustentabilidade. Alimentos que contêm esse tipo de alegação geralmente fazem alusão ao menor percentual de plástico utilizado, menor emissão de dióxido de carbono, menor consumo de água em seu processo produtivo ou uso de práticas sustentáveis. É comum marcas serem certificadas quanto à redução de atividades nocivas ao meio ambiente. É uma estratégia de comunicação utilizada pelas empresas para oferecer uma imagem favorável associada ao meio ambiente.

Sabia que a Verakis tem um curso, em Madri, que aborda a questão as embalagens de alimentos sob o ponto de vista legal, criativo e de mercado?

Os aspectos visuais do design da embalagem também fornecem, como não poderia deixar de ser, uma imagem de naturalidade por meio de diversos elementos que remetem o consumidor ao que é saudável:

– As cores vivas predominam, atraindo consumidores pouco ativos no processo de compra. Vermelho e azul são frequentemente acompanhados de marrom ou verde associados à terra e à natureza. Produtos com essas cores são saudáveis.

– A embalagem inclui imagens de alimentos não processados, associando-os a produtos naturais sem processamento industrial e com isso é proporcionado o aspecto “saudável”.

Embora o cumprimento da regulamentação seja normalmente rigoroso, apenas o que corresponde à obrigação exigida ocupa 25% do contentor. Os 75% restantes são utilizados pelas empresas para persuadir o consumidor por meio de sua estratégia de comunicação.

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 27 de dezembro de 2022.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e escreve para o blog da Verakis.

Imagem: ArtsyBee