2 de November de 2022

Selos para pegadas ambientais dos alimentos

Os rótulos ambientais tornaram-se um importante argumento como ferramenta de tomada de decisão para os consumidores.  Na ausência de um sistema único europeu  três sistemas estão sendo testados pela Europa : o “Ecoscore”,  o “Environ- score” e o “Planet-score”.

Sendo o setor agroalimentar é um dos principais contribuintes para as mudanças climáticas;  responsável por 31% das emissões de gases de efeito estufa segundo a FAO, esse não escapa a preocupação do consumidor com a sua “pegada ambiental”.

Algo se move quando, como é o caso da Espanha, 39% dos lares deixaram de comprar produtos de marcas que não consideram sustentáveis.

É verdade que uma boa parte dos consumidores estão sensibilizados, mas também confusos com tantas mensagens que existem em alguns produtos.

Segundo a Comissão Europeia, existem mais de 200 rótulos ambientais ativos e mais de 450 em todo o mundo. Não nos passa despercebido que muitos deles, como escrevemos ocasionalmente, respondem a um exercício de greenwashing.

Na 6a. edição do Workshop Internacional Marketing, Mercado e Sociedade da Verakis em parceria com o Agrifood & Franchising da Espm o objetivo é Identificar, discutir, justificar e refletir quando, por que e como evitar o “greenwashing” no setor agroalimentar (processo de marketing ou relações públicas usado por uma organização, empresa, administração pública nacional ou territorial, etc.) para dar a si mesma uma imagem enganosa de responsabilidade ecológica. Aproveita a oportunidade!

De acordo com o Eurobarômetro, 59% dos compradores consideram que os rótulos dos produtos não fornecem informação suficiente, enquanto 48% consideram que não são claros.

A França é o país europeu mais próximo de alcançar um sistema de rotulagem ambiental para alimentos.

Os três sistemas indicados analisam o impacto dos alimentos ao longo do seu ciclo de vida e utilizam as 16 categorias da pegada ambiental europeia agrupadas numa avaliação global.

“Environ-score”, desenvolvido pelo Instituto Tecnológico Espanhol AZTI e pela Universidade de Lovaina (Bélgica), é o mais fiel à pegada ambiental do produto da Comissão Europeia e, portanto, carrega a mesma limitação. Requer uma grande quantidade de informações dos produtores para o cálculo da análise do ciclo de vida. Ele fornece um resultado fiel, mas um cálculo complexo.

No caso dos sistemas franceses, “Planet Score” e “Eco-score” ambos são baseados na análise do ciclo de vida (ACV) do banco de dados Agrybalise, que possui quase 3.000 alimentos, portanto, apenas algumas informações adicionais são necessárias. produtos. Seu diferencial fundamental é que o Planet-score considera, além da ACV, 25 indicadores de impacto e apresenta ao consumidor três pontuações desagregadas referentes a agrotóxicos, impacto na biodiversidade e impacto climático.

Os especialistas são da opinião de que o rótulo que chega nos próximos anos considerará aspectos dos três sistemas anteriores e adicionará algumas novas nuances, com base na pegada ambiental do produto da Comissão Europeia.

Alberto Berga Monge – Madrid, 02 de novembro de 2022.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e escreve para o blog da Verakis.

Imagem: petrmalinak