25 de August de 2022

Greenwashing agroalimentar

Os auditores da União Europeia acusam a Comissão de inflar os gastos verdes do orçamento europeu, reduzindo  em 72.000 milhões de euros o investimento feito por Bruxelas para lutar contra as mudanças climáticas entre 2014 -. 2020.

Alguns estudos afirmam que apenas 4,5% dos produtos que nos são vendidos como “verdes” respondem a tais características.

Isso é feito por meio de greenwashing ou ecoimpuostura. O termo vem do inglês green (verde) e washing (lavagem). Refere-se às más práticas de algumas empresas, que apresentam produtos como ecologicamente corretos para limpar sua imagem e atrair ou reconquistar clientes.

Um grande número de selos ambientais decoram as embalagens de alimentos, alguns desenvolvidos pelas próprias empresas, para disfarçar os produtos.

“Se queremos que tudo continue como está, precisamos que tudo mude” 5 dicas foram apontadas para identificar lavagem verde, pelo coletico “Justicia Alimentaria”:

  • Ignore a embalagem e leia o rótulo, imagens de coisas verdes ou tons de terra só enganam. Não há nada sobre as imagens que as empresas colocam em seus recipientes e embalagens.
  • Procure provas de que os produtos são sustentáveis, eles devem ter rótulos ou certificações que você também pode procurar.
  • Pare de acreditar em slogans, a palavra natural não se encontra regulamentada por lei e não significa nada.
  • Informação vaga, se não houver informação suficiente, há um problema. Produtos que realmente respeitam o meio ambiente fornecerão informações detalhadas sobre os diferentes aspectos
  • Pensar globalmente que uma empresa possui uma linha de produtos sustentáveis ​​ou mais respeitosos com o meio ambiente não significa que não esteja causando desastres reais por outro lado .

A prática do greenwashing não é apenas economicamente desvantajosa, mas sobretudo é uma desvantagem ética.

A falta de transparência e honestidade prejudica a reputação das empresas ao mesmo tempo que destrói os fundamentos morais.

A postura de compromisso de responsabilidade social corporativa não precisa ser apenas uma estratégia de marketing.

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 25 de agosto de 2022.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e escreve para o blog da Verakis.

Fonte : https://justiciaalimentaria.org/wp-content/uploads/2021/09/Las-mentiras-que-comemos.pdf

Imagem: HollyHarry