10 de June de 2020

Engarrafando empatia e sustentabilidade

Há alguns meses a Coca-Cola lançou uma nova campanha global pra falar sobre empatia e incentivar as pessoas a buscarem por união, já que, segundo a empresa, o mundo nunca esteve tão dividido. A ação destaca o diálogo como ferramenta indispensável para a harmonia e paz entre as pessoas.

Walter Susini, vice-presidente sênior de Marketing da companhia, atuante na Europa, Ásia e Oriente Médio, diz que o mundo está muito hostil.

“É cada vez mais difícil reunir pessoas. No entanto estamos convencidos de que isso não é impossível. Achamos que a chave é a empatia. Nossa última campanha aspira a isso, exortando todos nós para dar um passo atrás e prestar atenção nas opiniões dos outros ” Walter Susini

A Empatia

Que a empatia está em falta no mundo, é verdade. Percebemos isso todos os dias, nas conversas e atitudes. De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, o Brasil não é um dos países mais empáticos do mundo. O ranking mostra uma lista de 63 países, onde os brasileiros ocupam a 51ª posição.

As últimas posições foram ocupadas por Lituânia, como sendo o país menos empático do mundo, seguida por Venezuela, Estônia, Polônia, Bulgária, Finlândia, Eslováquia, Letônia, República Tcheca e Romênia.

Falando em Eslováquia e República Tcheca, uma competição, que ocorreu recentemente, desafiou os estudantes franceses de Marketing e Comunicação para criarem uma campanha de conscientização da Coca-Cola, visando a redução da poluição por plástico, nesses países. O tema da competição foi “desperdício zero”, e exigiu ideias para o reaproveitamento do plástico que seria descartado. Um dos projetos vencedores sugere uma parceria entre a Coca-Cola e Adidas pra fabricar roupas com o plástico reciclado.

Escassez de consciência ambiental

Também não é difícil perceber nossa escassez de consciência ambiental, principalmente com o surgimento do novo Coronavírus e a necessidade do uso de máscaras e luvas como equipamentos de proteção, que hoje encontram-se jogados pelas ruas, praias, e assim por diante.

Com tudo isso começamos a refletir sobre o papel das empresas na conscientização. Uma empresa deve ir muito além de um produto, deve ser muito mais que uma marca. Grandes empresas têm grandes influências, a nível mundial, portanto toda e qualquer ação terá consequências, sejam positivas ou não.

Empresas como a Coca-Cola tornaram-se uma referência, no mundo atual. Se a companhia valoriza a empatia e a sustentabilidade, então as pessoas passam a prestar mais atenção nesses temas. Se o refrigerante é saudável ou não, a questão não é essa, porque já não é só uma bebida que está sendo vendida, mas também uma ideia.

Image par DarkWorkX de Pixabay

Fontes:
https://www.uol.com.br/tilt/ultimas-noticias/redacao/2016/10/31/ja-se-colocou-no-lugar-do-outro-ranking-diz-que-brasileiro-nao-tem-empatia.htm?cmpid=copiaecola
http://www.influencia.net/fr/actualites/media-com,case-study,super-coca-cola-fournisseur-officiel-empathie,9944.html
http://www.influencia.net/fr/actualites/media-com,reputation,etudiants-lyonnais-orientent-coca-cola-vers-zero-dechet,10304.html