20 de May de 2020

COVID-19: AS CERVEJARIAS ESTÃO SE AFOGANDO

Devido à pandemia de Covid-19 as cervejarias europeias têm navegado em águas turbulentas. Eventos cancelados, fechamento de bares e restaurantes (na Alemanha, a Oktobesfest já está ameaçada) e os fabricantes de cerveja na Europa temem por seus negócios, que cresceram consideravelmente nos últimos anos.

 Com o confinamento instaurado desde março desse ano na França, as vendas caíram de maneira preocupante. A grande crise das cervejarias agora são os milhares de litros de cerveja que serão descartados. De acordo com um estudo feito pela Brasseurs de France, serão ao menos 10 milhões de litros jogados fora, que farão parte dos 22,5 milhões de hectolitros de produção estimados ainda para 2020.

 Quando não pasteurizadas, as cervejas podem perder o aroma em dois ou três meses de conservação. O produto é frágil, assim como alguns fabricantes, financeiramente falando. A quantidade de litros descartados está na casa dos milhões e as perdas financeiras também. Pela diminuição das atividades, cerca de 25% das cervejarias estão em queda, enquanto 70% delas já perderam mais da metade da receita desde a segunda semana de março.

 Segundo o Sindicato das cervejarias artesanais francês, 96% dos fabricantes de Contentin – França, perderão de 90 a 100% do volume de negócios. Como forma de reagir à crise algumas cervejarias adotaram taxas promocionais e estão inovando nos negócios.

De acordo com “Frédéric Marie, da costa de La Pinte de Saire na França: “continuamos a fabricar cerveja durante o primeiro mês e embalamos em barris e garrafas. Também aproveitei o período para lançar o barril independente de 5 litros em grandes áreas. Portanto, seremos a primeira cerveja artesanal a ser saboreada em um barril independente, ou seja, consumível sem uma máquina de cerveja.”

 Crises e oportunidades parecem andar juntas, e as cervejarias europeias certamente têm se esforçado nesse momento. Torcemos para que permaneçam firmes e otimistas, e quando tudo passar, que possamos comemorar com um brinde.

 

 

 

Artigo redigido por Mariana Moro, baseado no texto de Actu.fr

Image par Alexas_Fotos de Pixabay