1 de junho de 2021

Food Defense : definição e aplicação

Food Defense ou Defesa dos Alimentos é definido pela Global Food Safety Initiative – GFSI como o processo para garantir a segurança de alimentos, ingredientes alimentares, ou embalagens de todas as formas de ataques maliciosos intencionais, incluindo ataques motivados ideologicamente, levando à contaminação ou a produtos inseguros. 

No Food Defense procura-se evitar danos às empresas ou aos consumidores causados intencionalmente durante o trato com os alimentos, matérias primas, embalagens, e outros.

Segundo o site Food Safety Brazil, o termo Food Defense engloba as ações deliberadas de fraude alimentar, ataques cibernéticos e sabotagem, responsabilizando as pessoas pelos incidentes decorrentes. Por isso é importante levar em consideração dois fatores: a motivação para a agressão e o perfil dos agressores. O plano de defesa dos alimentos terá que ser capaz de identificar o potencial alvo. 

Dessa maneira, o Guia da FDA (Food and Drug Administration), para estratégias de mitigação para proteger os alimentos contra adulteração intencional, traz alguns tópicos que devem ser levados em consideração na elaboração do plano de defesa, sendo estes:

  • Avaliação de vulnerabilidade – É necessário identificar as vulnerabilidades (fraquezas) significativas das etapas do processo. Sendo importante uma explicação do por que cada ponto, etapa ou procedimento foi identificado ou não como vulnerável. Por isso deve ser levado em consideração o potencial impacto na saúde pública, acesso físico ao produto e capacidade do agressor contaminar. 
  • Estratégias de mitigação (enfraquecimento)  – Nesse ponto é feito para cada etapa do processo uma estratégia para enfraquecer as possíveis ameaças, é necessário uma explicação escrita de como cada uma das estratégias minimiza ou evita suficientemente a vulnerabilidade de cada etapa. 
  • Monitoramento de defesa alimentar – É feito um controle e monitoramento para que o plano de defesa alimentar seja devidamente implementado.
  • Ação corretiva – Deve aplicar procedimentos de ação corretiva para caso as estratégias de mitigação não tenha sido adequadamente implementadas. 
  • Verificação de defesa alimentar – É necessário verificar o andamento das estratégias do plano de defesa, conforme foi planejado.

Algumas certificações auxiliam na aplicação do Food Defense, sendo as principais: TACCP (Análise de Ameaças e Pontos Críticos de Controle), apresentada pela norma PAS 96, e a CARVER+Shock e o FDPB (Construtor de Plano de Defesa Alimentar), apresentados pelo FDA. 

Saiba mais

Para saber mais sobre Food Defense – Além da Segurança dos Alimentos participe do Verakis Conecta do dia 23/06/2021 às 12h00 (Horário de Brasília) / 16h00 (PT). 

A aula será ministrada pelo Major Médico Veterinário Pedro Tomás Silva, que é chefe do Gabinete de Segurança Alimentar no Exército Português e Especialista de Segurança Alimentar do Exército Português no Grupo de Trabalho da OTAN “Food and Water Safety and Veterinary Support”. Mestre em Segurança Alimentar pela Faculdade de Medicina Veterinária e Doutorando da Escola Nacional de Saúde Pública. 

 

 

 

Escrito por Renata Lênnen – aluna da UFMT, estagiária Verakis, Embaixadora líder do Verakis Conecta.