14 de outubro de 2020

AS MULHERES ESTÃO EXAUSTAS

A McKinsey (empresa de consultoria empresarial) e a Lean In (uma comunidade global dedicada a ajudar as mulheres alcançarem suas ambições) publicaram no último relatório “Mulheres no local de trabalho, 2020” nos EUA, que uma em cada quatro mulheres está pensando em abandonar a carreira por conta dos efeitos da pandemia de Covid-19. Estes são os resultados de 40.000 pesquisas em 317 organizações

O esgotamento destas mulheres representa um problema real, dada a necessidade de estarem permanentemente ativas, uma vez que a separação entre trabalho e casa parece ter sido extinguida.

As mulheres temem, mais do que os homens, serem demitidas, paralisando suas carreiras e colocando em risco sua segurança financeira.

A pandemia pode significar retrocessos para as mulheres porque a corresponsabilidade está longe de ser uma realidade, e a conciliação explodiu depois do confinamento, que devolveu os homens ao escritório, enquanto as mulheres continuam cuidando dos filhos.

Hasta este año, Mckinsey había detectado que las tasas de abandono masculinas y femeninas eran comparables. Sin embargo la pandemia ha metido presión, sobre todo en el caso de las madres, que son tres veces más propensas que los hombres a responsabilizarse del trabajo doméstico: una de cada tres está pensando cambiar de carrera o abandonarla a causa del coronavirus. La principal razón el cuidado de los hijos, en el caso de las directivas achacan su decisión al agotamiento.

Até este ano, Mckinsey havia descoberto que as taxas de evasão de homens e mulheres eram comparáveis. No entanto, a pandemia pressionou, especialmente no caso das mães, que têm três vezes mais probabilidade do que os homens de assumir a responsabilidade pelo trabalho doméstico: uma em cada três pensa em mudar de carreira ou sair por causa da pandemia. O principal motivo é o cuidado com os filhos, no caso aquemas que ocupam cargos de direção, atribuem sua decisão ao esgotamento físico e emocional.

As empresas correm o risco de perder mulheres em posições de liderança, futuras líderes e desfazer anos de progresso gradual em direção à diversidade de gênero. Todo o progresso que eles viram nos últimos seis anos pode desaparecer.

Las empresas han de ser conscientes de sus decisiones, as que tomen tendrán consecuencias en la igualdad de genero en las próximas décadas. Las organizaciones tienen dios vías, reconocer la magnitud de problema y abordarlo ayudando a sus empleados, e incluso reinventando el modelo de trabajo o enfrentarse a unas consecuencias que podrían perjudicar gravemente a las mujeres, las empresas y la economía.

As empresas precisam estar cientes que as decisões que tomam terão consequências sobre a igualdade de gênero nas próximas décadas. As organizações têm dois caminhos : reconhecer a magnitude do problema, e resolvê-lo ajudando seus funcionários, e até mesmo reinventando o modelo de trabalho, ou enfrentando consequências que poderiam prejudicar gravemente as mulheres, as empresas e a economia.

A situação não e muito diferente da dos Estados Unidos; as mulheres já vinham sofrendo com o peso das obrigações familiares e o pandemia de Covid-19 complicou ainda mais. Falta-lhes ajuda para enfrentar o confinamento dos filhos, subjacente à não resolução da corresponsabilidade.

Las investigaciones demuestran que los beneficios de las compañías y el rendimiento de sus acciones pueden ser casi un 50% más elevados cuando hay mujeres en la cúpula, explica Mckinsey.

As pesquisas mostra que os lucros das empresas e os retornos das ações podem ser quase 50% maiores quando as mulheres estão no topo, aponta Mckinsey no relatório .

Acesso ao relatório : thttps://wiw-report.s3.amazonaws.com/Women_in_the_Workplace_2020.pdf

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 14 de outubro de 2020.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e é dos correspondentes Verakis.