15 de June de 2020

Rotulagem no setor da cerveja também cobra transparência

O comportamento do consumidor atual já não é mais novidade e ele se preocupa cada vez mais com aquilo que consome. Não é somente a qualidade intrínseca dos alimentos, mas também o engajamento social, com o meio ambiente e a segurança do ponto de vista sanitário. Além dos diversos relatos de fraudes no setor alimentício, o consumidor está mais engajado, quer saber o que come e pede transparência por parte dos produtores, fabricantes e distribuidores.

O rótulo das embalagens de alimentos é um dos modos de informar os consumidores sobre composição química, composição nutricional, engajamento social, compromisso com o meio ambiente, dentre outros. Como nem todas as informações constam na rotulagem e os consumidores clamam por transparência, aos poucos tem-se incrementado o tipo e a qualidade de informações que sejam veiculadas junto com o próprio alimento.

Em alguns casos as informações ou não estão presentes ou não são genuínas. A rotulagem dos alimentos é obrigatória em todos os países, mas não funciona da mesma maneira em todos eles. No continente europeu, por exemplo, vemos que a regulamentação sobre as informações apresentadas nos rótulos só entrou em vigor no final de 2014, e em 2016 as exigências foram realmente aplicadas.

Enquanto isso, tanto produtores quanto consumidores franceses têm tido motivos para comemorar: de acordo com a Lei “Art. L. 412 10. – O nome e o endereço do produtor de cerveja são exibidos de forma destacada na rotulagem, de modo a não induzir o consumidor de forma alguma sobre a origem da cerveja, inclusive devido à apresentação geral do rótulo”.

De acordo com o SNBi, o Sindicato Nacional dos Cervejeiros Independentes, a nova conquista foi um “grande passo à frente para o consumidor que, há décadas, não sabia onde a cerveja que estava bebendo era produzida, às vezes até abusados por indicações enganosas.” Além disso, a menção à origem é sinal de valorização do produtor e também do cliente.

As informações contidas nos rótulos dos alimentos, devem cada vez mais aproximar o consumidor do produtor, este último se tornando cada vez mais transparente e honesto, informando de corretamente, respeitando a saúde e a confiança de quem consome, engajado com o meio ambiente, valorizando o produtor primário e participando de ações sociais.

 

 

 

Fonte: https://www.agro-media.fr/actualite/42514-42514.html?utm_source=ActiveCampaign&utm_medium=email&utm_content=La+quotidienne+agroalimentaire+-+Actualit%C3%A9s+du+jour&utm_campaign=AGRO-MEDIA+-+Newsletter+Quotidienne