21 de maio de 2020

O PREÇOS DOS ALIMENTOS DURANTE A EPIDEMIA DE COVID-19 NA ESPANHA

 Sete em cada dez espanhóis se declaram preocupados com o resultado da apelidada “semana da histeria”, quando os consumidores foram “forçados” a modificar seus hábitos de compra.

Os gastos no carrinho de compras aumentaram em 25% nesse período, para os menores de 35 anos, deixando a maior porcentagem do salário em dinheiro, e até 40% a mais durante a semana de saturação e colapso, no inicio do confinamento espanhol.

Com o passar dos dias, das prateleiras devastadas passou-se para a estabilização do volume e do tipo de produtos que compõem o carrinho de compras. Produtos de bebê e itens de limpeza doméstica registraram aumentos de 40%. Arroz, legumes, massas e conservas foram as categorias que mais cresceram.

Esse padrão de consumo fez com que a inflação fosse de – 0,7, o nível mais baixo em quatro anos (especialmente devido à queda nos produtos energéticos). No entanto significou para o setor de alimentos um aumento de 4% nos preços, 6.9% somente para os frescos, o maior aumento desde 2013.

A observação dos mais de duzentos produtos no carrinho de compras, produtos e serviços que compõem o índice de preços ao consumidor na Espanha, revela um aumento bastante difundido entre os produtos mais comuns: as frutas frescas subiram 12,8%, o peixe 10,5%, a carne de porco 8,2% , e o açúcar 7,9%. Produtos que são difíceis de substituir e geralmente não são caros.

O preço de alguns produtos diminui, como os que são consumidos em grande parte pela restauração: carne de ovino, de bovino, queijo, dentre outros.

Existem várias razões fundamentais que causaram o aumento dos preços: por um lado, a escassa força de trabalho no campo devido a limitações de mobilidade, e por outro lado, o confinamento que aumentou o consumo nas residências, canalizando uma demanda que anteriormente passava pelos serviços de restauração.

Os supermercados enfrentando menos concorrência das pequenas empresas, e esgotamento de certos produtos também tiveram motivo e oportunidade para aumentar os preços.

O aumento do consumo de produtos foi de 1,1% em abril, enquanto que em março houve um aumento tímido de 0,1%.

Conclui-se a epidemia de Covid-19, o confinamento da população espanhol, a mudança do perfil de consumo, o fechamento de algumas cadeias de distribuição, causaram aumento no preço de produtos em geral, e de alimentos, que atinge diretamente o orçamento dos lares espanhóis.

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 20 de maio de 2020.

 

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e vai ser um dos correspondentes Verakis para acompanhar a evolução do setor dos alimentos durante o confinamento europeu.

 

 

Imagen de Steve Buissinne en Pixabay