12 de agosto de 2020

Espanha pede auditoria da pandemia

Uma carta conjunta, de vários especialistas espanhóis em epidemiologia e saúde pública, foi publicada em 6 de agosto no The Lancet, onde solicitam uma revisão externa da pandemia.

Eles se perguntam o que falhou em um dos países com um dos melhores sistema de saúde do mundo, e que é um dos mais afetados pela pandemia, com mais de 300.000 infectados, 29.000 mortes e 50.000 profissionais da saúde afetados. Por isso exigem uma avaliação independente que dê respostas para aprenderem com o que aconteceu.

“Se a Espanha conseguiu realizar o melhor estudo de seroprevalência da Europa, também é importante que se destaque como um país que tira lições realmente úteis do que aconteceu”, diz um dos signatários da carta.

São várias as causas apontadas: despreparo, demora na tomada de decisões, problemas de coordenação entre administrações públicas,  falta de meios e provisões em lares de idosos, junto com o envelhecimento da população, a desigualdade social, e os efeitos de uma década de austeridade.

A análise deveria ser tanto qualitativa quanto quantitativa e, em última instância, deveria estudar aspectos como os recursos humanos e financeiros utilizados, como foi a tomada de decisão, e quais são as capacidades dos sistemas de informação, e o papel da pesquisa.

Países como Suécia e Nova Zelândia, e instituições como a OMS já lançaram avaliações desse tipo.

Uma epidemia é um fenômeno social que envolve alguns aspectos médicos, disse-nos o pai da anatomia patológica Rudolpf Virchow.

É importante que possamos identificar tudo o que podemos modificar e separar daquilo que não pode ser posto em prática.

O que aconteceu foi um fracasso e é preciso aprender com os erros.

Acesse o link para acessar a carta completa no The Lancet https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)31713-X

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 12 de agosto de 2020.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e é dos correspondentes Verakis.