28 de outubro de 2020

COSMO-SPAIN – Comportamento e atitudes frente a Covid-19

A segunda edição da “Como Spain”, estudo da OMS sobre o comportamento e atitude da população em relação a Covid-19,  ocorreu em setembro e os resultados preliminares agora conhecidos.

A principal preocupação dos inquiridos continua a mesma: saturação hospitalar, confinamento, etc., mas aumentam as preocupações com a situação econômica e laboral, bem como a preocupação com a saúde física e mental.

A percepção da população sobre a evolução da pandemia piorou; 47% dos entrevistados acredita que o pior ainda está por vir. Além disso, 78% da população tem a sensação de que o vírus está se espalhando rapidamente. A nível psicológico, 37 % dos entrevistados afirma que a Covid-19 os faz sentir deprimidos.

Porém, a percepção dos pesquisados ​​sobre a gravidade da doença se infectado diminuiu: 39% considera que seria grave ou muito grave, e apenas 27% da população acredita que a chance de contágio é alta ou muito elevada.

De maneira geral os conhecimentos sobre as formas de contágio são adequados, embora tenha aumentado o percentual de pessoas que acreditam que as pessoas sem febre não são contagiosas (24%).

O uso da máscara também aumentou em 9 pontos.

A adesão às medidas preventivas recomendadas pelas autoridades de saúde continua alta. Na semana anterior à pesquisa, as medidas de prevenção que a população afirma ter realizado foram: uso de máscara (90%), lavagem das mãos e / ou uso de gel hidroalcoólico (85%), ventilação de espaços fechados ( 84%) e manter uma distância física de 2 metros (80%).

Evitar o transporte público é uma medida considerada preventiva por 72%, apesar de a grande maioria ter retomado o trabalho presencial.

Apenas 68% afirma ter evitado encontros sociais e familiares.

A desinfecção de superfícies, como maçanetas e sinos, parece ter se tornado rotina em 55% da população.

Ao consultar os entrevistados sobre as decisões tomadas até o momento em relação a Covid-19, aqueles que as consideram adequadas caiu 3%, e 63% as considera exageradas.

Na primeira pesquisa, realizada no final de julho, 70% dos entrevistados disse que concordava em ser vacinados, se possível. Porém, nesta segunda edição, apenas 43% o faria, devido aos possíveis riscos.

Apesar do tempo decorrido desde o início da pandemia, pouco mais de 40% da população busca informações sobre a Covid-19, de 4 a 5 vezes ao dia.

As instituições científicas e de saúde são as que assumem maior confiança perante as informações oficiais.

Alberto Berga Monge – Madrid, 28 de outubro de 2020.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e é dos correspondentes Verakis.

Fonte: https://portalcne.isciii.es/cosmo-spain/