5 de agosto de 2020

Coronaleitura 3

A expansão da Covid-19 na Espanha

Pesquisadores do Centro Nacional de Epidemiologia (Espanha) publicaram, recentemente, um estudo que permite determinar os fatores com uma clara correlação da expansão da Covid-19 na Espanha.

Para a determinação destes fatores de correlação, eles cruzaram os dados dos casos diários declarados à rede de vigilância em saúde pública com 17 variáveis ​​que geralmente influenciam a incidência de vírus respiratórios, conforme a literatura científica: demografia, uso de transporte público, saúde da população, atividades econômicas, e mobilidade de pessoas dentro e fora da região.

A porcentagem de banheiros infectados, o número de ocupação nos asilos, a mobilidade interna entre as comunidades autônomas e entre dada uma e Madri e, por outro lado, com o País Basco, foram fatores com uma clara correlação com a expansão desigual da Covid-19 na Espanha. Quanto maiores esses fatores em uma comunidade, mais casos foram registrados.

Apenas os cinco fatores mencionados mostraram correlação com a incidência da Covid-19, e o estudo sendo uma abordagem estatística, não se  alguma pode estabelecer causalidade, ou seja, cada uma dessas variáveis ​​tem uma explicação plausível, mas ainda são hipóteses que devem ser estudadas.

Quanto maior a ocupação nos asilos a cada 100 pessoas acima de 70 anos, a expansão foi maior, mas não se pode concluir que o número de ocupação seja  a causa de sua incidência.

Não houve correlação entre viajantes que chegaram nas comunicadas.

Os banheiros têm sido mais um elo na cadeia de transmissão do vírus, principalmente nos primeiros dias da epidemia, quando não foram implementadas medidas de higiene.

Dadas as características da transmissão do vírus, a mobilidade da população que implica diretamente no contato social é considerada o principal fator de risco.

O estudo não aborda aspectos como a capacidade de diagnosticar e isolar pacientes, as capacidades hospitalares, ou a capacidade de proteção que os profissionais de saúde possuíam.

Mais informações sobre os resultados do projeto podem ser encontradas no seguinte link : https://www.isciii.es/Noticias/Noticias/Paginas/Noticias/ProyectoFactoresDifusionCOVID19.aspx

 

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 05 de agosto de 2020.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e é dos correspondentes Verakis para acompanhar a evolução do setor dos alimentos durante o desconfinamento europeu.