21 de dezembro de 2020

Ceias de Natal pela Europa do Sul e Brasil – muito mais que comer

Natal é uma festa católica embebida de tradições, inclusive as culinárias, que traduzem a maneira como nos relacionamos com a religiosidade da data, com a cultura, com as «imposições » sociais, e também a nossa percepção social.

Na ultima edição do « Papo à mesa » – Verakis, momento onde embaixadores e colaboradores Verakis apresentam seus pontos de vista por meio de uma obra literaria ou cientifica, 5 colaboradores Verakis comentaram sobre a « Ceia de Natal » no pais deles ; pais de adoçao ou de nascença.

Como não poderia deixar de ser, foi mais um momento onde as ciências sociais e humanas (antropologia, sociologia, psicologia social e marketing) relacionadas à alimentação foram abordadas e discutidas sem a « pompa », o « cerimonial » e o linguajar do « cientifiquês »,  deixando espaço para uma discussão simples e gostosa, imbuída de ciência, acessível aos curiosos e interessados de qualquer  situação intelectual, social,  ou acadêmica.

 

A discussão mediada por mim, Juliana T. Grazini, Presidente da Verakis, e brava lutadora pelo acesso à ciência por todos, começou com a apresentação da Ceia de Natal na França pelo David Robert – Chefe de Projetos e Tutor Verakis na França.

David pontuou muito bem a questão da tradição da ceia de Natal :

  • A ordem dos pratos bem estabelecida: Aperitivo, Entrada, Prato Principal, Queijos, Sobremesa, Digestivo ;
  • As preparações típicas da data ;
  • O acompanhamento de certo de tipo de vinho para cada tipo de prato : 1 certo vinho para o aperitivo, outro para a entrada, outro para o prato principal, outro para os queijos, outro para a sobremesa e o digestivo;
  • Durante o aperitivo as pessoas podem estar dispersas na sala do anfitrião, mas à partir da “Entrada » até o final da sobremesa, estão todos sentado à mesa.

 

Em seguida Alberto Berga, colaborador Verakis na Espanha, diretor dos cursos de Gestão da Qualidade da Verakis, apresentou a variedade de pratos consumidos na Espanha no Natal e confirmou a questão da combinação dos vinhos com cada prato, e a formalidade da refeição. O Prof. Alberto nos enviou um texto sobre o consumo de alimentos no Natal na Espanha que vai ser publicado amanhã, 22 de dezembro de 2020.

Depois, Adriano Andreghetto, Diretor de Marketing Digital da Verakis, Coordenador do Curso de Especialização em Marketing de Alimentos – Verakis e Tutor Verakis, falou do Natal em Portugal.

Para Adriano, o choque cultural foi marcante : festejar Natal no inverno, no frio, com pratos estabelecidos especialmente para a Ceia de Natal, sem muita possibilidade ou mesmo espaço para inovações, e o ritual de todos à mesa durante a refeição toda.

Antes de Adriano comentar dos pratos típicos de Natal em Portugal  (filhoses, bacalhau cozido com grelos, roupa velha ou farrapo velho), David comentou do seu choque cultural quando passou seu primeiro Natal no Brasil. Para ele, foi surpreendente ver as pessoas comendo de pé ou no sofá, com um buffet sem ordem de pratos, o calor, a informalidade…

Este acento sobre o choque cultural é muito interessante, pois percebemos o quanto a nossa percepção de « forma correta » de comemorar o nascimento de Cristo, parte do nosso pressuposto aprendido dentro no nosso círculo social. Quando  saímos do nosso círculo, e vivenciamos momentos fortes como o Natal, em outros contextos, nos sentimos perturbados, perdidos por vezes e temos que nos questionar : existe um Natal « correto » ?

Interessante ver que diferente da Espanha e França, em Portugal a ceia do 24/12 é mais leve, composta por bacalhau ou polvo cozidos em água, acompanhados com legumes, e que a refeição mais farta é a do dia 25/12. No final do dia 25/12 os restos de bacalhau e legumes, refogadas com azeite, alho e cebola, conforme a tradição de cada região, se transforma no « Roupa  ou Farrapo Velho », traduzido na última refeição do Natal, evitando o desperdício.

As filhoses, massa de farinha ou abóbora frita e depois borrifada com açúcar e canela, que lembram os famosos « bolinhos de chuva » sempre presentes na ponta da caneta de Monteiro Lobato no obra « Sítio do Pica Pau Amarelo », é outra iguaria que não pode faltar no Natal português, de norte a sul e de leste a oeste.

Em seguida Luisa Porrini, consultora de projetos Verakis na Itália, comentou das ceias de Natal na Itália. Luisa explicitou o fato de que o Natal na Itália é o momento de convívio, é o momento de estar com a família, de se reunir, de se reencontrar, de festejar.

Luisa nos lembrou que a Itália é constituída da união de diversos pequenos « reinos » e que até hoje a diversidade cultural impera. Mesmo se alguns traços de semelhança possam ser percebidos no norte ou no sul do país, as tradições são muito diversas e variam de família para família. Ela comentou que durante sua infância, os vizinhos de cima ou debaixo do seu apartamento compunham a ceia de Natal completamente diferente daquela da sua família.

Muito interessante também o fato de ser uma data onde as receitas de família, daquelas escondidas, são praticadas.

O choque cultural de Luísa, quando passou o Natal no Brasil foi o fato de ver que em pleno verão tropical as pessoas festejavam o Natal como se fosse inverno : decorações com neve, Papai Noel barbudo e com roupa de neve e refeições mais pesadas.

Por fim, Paula Feliciano, Diretora de Projetos Verakis no Brasil, Turora da Visita Técnica em Barcelona, falou do Natal brasileiro e pontuou muito bem os diversos « Natais », e o ponto comum das refeições de Natal no Brasil : a farofa.

Paula falou da informalidade do Natal brasileiro, do motivo do encontro, do compartilhamento da refeição em forma de pratos variados e da alegria.

Como gastrônoma e estudiosa da história dos pratos, Paula comentou da introdução e evolução do  perù una ceia de Natal brasileira, e escreveu um texto mais aprofundado que vai ser publicado no dia 25/12/2020.

O final de ano Verakis foi um deleite com estas discussão.

Se você quiser se deleitar com a discussão de Natal acesse o  canal Youtube da Verakis.

Se você quiser participar e se deleitar com as discussões do « Papo à Mesa » acesse a agenda e já se inscreva.

 

E para finalizar eu desejo a todos :

 

Feliz Natal

Joueux Noël

Feliz Navidad

Buon Natale

 

Juliana T. Grazini dos Santos – Eaubonne, 21 de dezembro de 2020.