25 de agosto de 2020

Apetite –  Eu como, logo existo

“Entre a necessidade de comer (fisiologia) e a vontade de comer (psicologia), o apetite regula, com mais ou menos sucesso, a quantidade de energia que ingerimos através dos alimentos. A falta de apetite (anorexia) ou o excesso de apetite (bulimia) são patologias graves que comprometem a vida social e a saúde dos indivíduos a elas sujeitos.

Sensação agradável a priori, o apetite se transforma em fome, dolorosa, quando a refeição é tarde demais. “O prazer de comer requer, se não fome, pelo menos apetite”, escreveu Jean-Anthleme Brillat-Savarin (1755-1826), famoso comedor. Ele não é o único na categoria das penas com estômagos insaciáveis: se, para François Rabelais (1494-1553), “o apetite vem ao comer; a sede passa quando se bebe”, Montesquieu (1689 -1755) é ainda mais categórico sobre os prazeres da mesa: “Existem três coisas importantes na vida: a primeira é comer; os outros dois, ainda não os encontrei. ”

Finalmente, foi demonstrado que nosso sistema olfativo é mais reativo quando a fome é sentida: o apetite é aguçado, os sentidos em alerta. Mas a visão não fica por menos, como atesta o cuidado muito particular com que os cozinheiros preparam os seus pratos … para nos fazer salivar ainda mais, e assim preparar o nosso corpo para a chegada iminente da comida ”.

Por Cristophe Lavelle – Pequeno dicionário curioso da alimentação, página 29.

Maravilhoso maneira de explicar o apetite para o grande público!

Eu como, logo existo

« Eu como, logo existo », é a grande exposição do Musée de l’Homme (Museu do Homem) em Paris, dedicada à alimentação, e que acaba no 31 de agosto de 2020.

A Verakis foi, conferiu, e nesta última semana estival na França, semana de férias para a nossa equipe na Europa, vai compartilhar algumas definições, escolhidas especialmente para nosso seguidores, do « Petit dictionnaire curieux de l’alimentation » (Pequeneo dicionário curioso da alimentação).

O intuito é compartilhar um pouco da visão multifocal do Museu do Homem e sua equipe de pesquisadores, que é também como a Verakis enxerga a alimentação.

Outro objetivo destes « posts » é compartilhar textos, e nomes de pesquisadores que saem do « denominador » comum dos comentários e citações mais popularizados.

Quem é Christophe Lavelle

Christophe Lavelle é biofísico, co-responsável pelas redes DNA e Palim, Christophe Lavelle leciona em diversos estabelecimentos de ensino superior (universidades Paris 4, Paris 7, Cergy-Pontoise, Versalhes, Aix-Marseille, Lyon, Lille, Toulouse, SupBioTech Paris, Le Cordon Bleu Paris), autor de cerca de cinquenta artigos de investigação, colabora também com várias revistas e editoras na escrita de artigos e livros sobre ciências culinárias. Ele é membro de várias sociedades científicas e gastronômicas acadêmicas, incluindo a Sociedade Francesa de Biofísica, a Sociedade Biofísica Americana, a Associação para o Estudo da Alimentação e Sociedade e a Association des disciples d´Escoffier.

 

 

Foto: WAYHOME studio