19 de agosto de 2020

A Espanha deve ser mais severa

“COVID 19 in the EU and the UK- eleventh update: resurgence cases” é o título do relatório publicado em 10 de agosto pelo Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças, ECDC, por sua sigla em inglês.

O relatório europeu destaca a necessidade da Espanha considerar medidas mais rígidas contra a Covid-19. A razão reside no fato de que há um aumento significativo de casos de coronavírus após a melhora devido ao confinamento.

A Espanha aparece como um dos países com maior incidência cumulativa de casos, entre 20 de julho e 2 de agosto (60 casos por 100.000 habitantes), superada apenas por Luxemburgo (208) e Romênia (78). Além disso, em Aragão e na Catalunha, no mesmo período, houve incidentes acumulados de mais de 120 casos por 100.000 habitantes.

À medida que os países controlavam a transmissão e o ônus para o sistema de saúde diminuíam, muitas medidas foram relaxadas ou deixaram de vigorar para poder viver com o vírus. Como resultado, o ECDC observa que muitos países estão vendo um aumento recente de casos.

Embora em muitos países pessoas assintomáticas ou com sintomas leves estejam sendo testadas, o que tem levado a um aumento dos positivos detectados, há um aumento real em vários países como resultado do relaxamento das medidas de distanciamento social, diz o relatório.

Conforme as medidas de distanciamento físico mais rigorosas foram relaxadas, as autoridades de saúde pública incentivaram os cidadãos a passar mais tempo ao ar livre, dado o menor risco de transmissão em ambientes ao ar livre, como bares e restaurantes, ou  ainda outras atividades em recintos fechados, como cinemas, academias de ginástcia, e lojas.

O órgão europeu considera que os surtos na Espanha estão associados aos jovens que participam de atividades noturnas, casos que poderiam ser mitigados se as medidas de controle fossem novamente reforçadas, o que deveria ser feito através de uma abordagem estudada, faseada e sustentável .

Da mesma forma, o documento lembra a importância de se realizar uma detecção e rastreamento adequados dos casos. Testes em larga escala, acompanhados de isolamento de casos e amplo rastreamento de infecções, são fundamentais para o controle da transmissão e base para uma vigilância eficaz, bem como para uma resposta adequada no âmbito da saúde pública ao Covid-19. Lembrando que o rastreamento dos casos pode ser iniciado antes de termos os resultados dos testes analíticos.

Para consultar o estudo completo acesse: https://www.ecdc.europa.eu/sites/default/files/documents/covid-19-rapid-risk-assessment-20200810.pdf

 

Alberto Berga Monge – Madrid, 19 de agosto de 2020.

O Prof. Dr. Alberto Berga Monge, é médico veterinário espanhol, professor e colaborador Verakis, professor colaborador da Universidade de Zaragoza, auditor da União Europeia e diretor da AMB Consulting, e é dos correspondentes Verakis.