De onde vêm e para onde vão as “fake news” sobre alimentos e alimentação?

09/11/2019
Escola Superior de Propaganda e Maerketing - ESPM - Sao Paulo
                       III WORKSHOP INTERNACIONAL VERAKIS

 De onde vêm e para onde vão as “fake news” sobre alimentos e alimentação?

O Objetivo deste Workshop é discutir sobre o papel do « marketing », « publicidade », jornalismo e ciência na criação e propagação de informações ilegítimas, pouco sinceras e errôneas, sobre alimentos e alimentação.

Qual é a relação entre ciência, marketing, publicidade e jornalismo na criação e propagação das “fake newes” sobre alimentos e alimentação?

Como abordar o disfuncionamento da interpretação e uso das informações relativas ao conhecimento propagado pelos atores da ciência?

Marketing, publicidade e jornalismo agem por má fé, ignorância ou inocência?

Profissionais especialistas e pesquisadores são inocentes, ignorantes ou mal intencionados quando propagam informações dos seus “saberes”?

 

Inscrição: https://forms.gle/ZTQS1fU67nduprV47

 

  • Identificar os atores que criam e cooperam para a divulgação de fake news;
  • Identificar o disfuncionamento entre especialistas e comunicadores e os riscos
  • de criação de “fake news” sobre alimentos e alimentação;
  • Debater sobre o tratamento e a difusão das informações técnicas e cientificas pelos pesquisadores, especialistas, jornalistas e publicitários;
  • Connhecer projetos de cooperação entre especialistas e comunicadores que diminuem os risco da criação de “fake news” sobre alimentos e alimentação;
  • Refeltir sobre a criação de mecanismos para evitarr ou amenizar a propagação de “fake news” sobre alimentos, alimentação.

Verakis e grupo Agrifood & Franchising-ESPM

Profissionais e estudantes das áreas de alimentos (nutrição, engenharia de alimentos, ciência de alimentos, farmácia, gastronomia, medicina, veterinária, agronomia), economia, marketing, sociologia, antropologia, comunicação, publicidade, assitência social e admnistraçao.
Certificado europeu de educação continuada pela Fundação Verakis.
  • Atores da informação e comunicação sobre alimentos e alimentação e o disfuncionamento do “caminho da informação”.
  • Existe dono da informação?
  • De quem é a responsabilidade das informações errôneas que circulam pelas redes sociais? Consequências de fake news na economia, consumo, comportamento, saúde e políticas no setor de alimentação.
  • Projetos de comunicação social capazes de evitar ou amenizar a criação e propagação de fake news.
  • Desenvolvendo projetos de comunicação social capazes de evitar ou amenizar a criação e propagação de fake news.”
Horário:
08h00 às 17h00
Carga horária:
08
Vagas:
50
Idioma(s):
Português
Fechar Interessado? Envie sua mensagem

Interessado? Envie sua mensagem: